Busqueda Avanzada
Buscar en:
Título
Autor
Poesía
Todos
Ordenar por:
Mas recientes
Menos reciente
Más vistas
Defecto
Poema
Categoría: Sentimientos

Brilhante (Homenagem aos Alcoólicos Anônimos)

O brilhante que hoje encanta você

E que hoje tanto vale que tão importante é.

Que consegue captar e atrair tanta gente para si,

Já foi simples cascalho rolado

Por tantas vezes pisado,

Pois fosco, sem brilho e sem vida,

A ninguém conseguia impressionar.

 

No entanto, hoje é brilhante,

O campeão das estantes!

Das grandes joalherias:

É a nata pura da pedra,

Que um dia por ser lapidado

Carinhosamente modelado!

Em jóia se transformou.

 

Seja, você também, procure se lapidar,

Em jóia se transformar.

Abandone essa clausura

Que tenta martirizá-lo!

 

Deixe de ser o cascalho rolado

Quantas vezes embriagado,

Pelos bancos de bares a chorar:

Eu sei que você entende

Muito mais do que essa gente!

Que tenta nos enganar.

 

Saia desta couraça arestada,

Saia desta carcaça do nada

Que tenta lhe aprisionar.

Mostre ao mundo a perfeição!

Que existe no seu coração

E quanta gente poderá ajudar.

 

Dê a grande reviravolta!.

Saia deste seu baixo astral.

Pise firme no primeiro degrau!

Seja a pessoa que existe em você.

 

Olhe para as belezas do mundo.

Às flores e o paraíso!

Que o criador fez para você.

Pense nas alegrias,

Pense nas horas frias!

E sinta qual a melhor.

 

Veja no sorriso do filho,

Veja no olhar da mulher!

Veja que depende somente de você!

Comece agora a cooperar.

 

Troque a falsidade do bar

Pela sinceridade do lar.

E comece então, a sentir:

As portas voltando a se abrir!

Os olhos começando a sorrir!

O amor novamente no coração a explodir.

 

Veja a família e você no centro.

Tal qual o sol no firmamento!

E as crianças em volta dizendo:

Papai! Você, ainda, é o maior!

 

Ouça os pássaros cantando,

Ouça os sinos repicando!

Ouça maravilhado também:

A serena voz do Senhor.

 

Escute pela última vez.

As palavras do coração sobre a dor.

Erga os olhos para o céu!

Sinta as mãos do criador.

 

Agora, também você já sabe.

Que precisamos do seu talento.

Comece, então, a lapidar-se!

Com a força do pensamento.

 

E logo, veremos a brotar!

De dentro dessa carcaça apagada!

O grande brilhante que há pouco,

Era apenas, um pequenino seixo rolado.

Datos del Poema
  • Código: 348649
  • Fecha: 06 de Mayo de 2011
  • Categoría: Sentimientos
  • Media: 6.92
  • Votos: 106
  • Envios: 0
  • Lecturas: 2,335
  • Valoración:
Datos del Autor
Nombre: AAA
País: BrasilSexo: Masculino
Fecha de alta: 04 de Mayo de 2011
Ver todas sus poesías
Comentarios


Al añadir datos, entiendes y Aceptas las Condiciones de uso del Web y la Política de Privacidad para el uso del Web. Tu Ip es : 3.220.231.235

0 comentarios. Página 1 de 0
Tu cuenta
Boletin
Estadísticas
»Total Poesias: 99,627
»Autores Activos: 4,260
»Total Comentarios: 47,522
»Total Votos: 9,266,099
»Total Envios 159,596
»Total Lecturas 142,892,756

© HGM Network S.L. || Términos y Condiciones || Protección de datos | Política de Cookies